terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

#4 e #5 A odisseia do laptop

#4 Sábado, 02-02-2013

Era o meu quarto dia na Inglaterra e eu estava isolada do mundo. Ok, não exatamente, mas era quase isso. Não trouxera computador com o objetivo de comprar aqui e tinha apenas 50 minutos para ligar pro Brasil no celular. Supostamente eu tinha internet 3G, que não se fez presente até então, logo minha internet só funcionava quando tinha wi-fi. Quando tinha wi-fi, que fique bem claro. E não era todo lugar que tinha ou liberava o acesso para terceiros.

Sábado, dia de fazer compras! Me reuni com Bethany e minha amiga de Film Studies, que também precisava comprar coisas essenciais na cidade, e fomos às compras, logo de manhã. Fomos direto na megastore para eu comprar o laptop. Estava um dia bonito, ensolarado, eu tinha minha câmera, e resolvemos andar. Que arrependimento. A loja era no fim do fim do mundo. Ok, talvez não tão longe. Mas era muito longe. Quase nos limites da cidade. Mas valeu a pena pelas (poucas) fotos que consegui fazer no caminho.
 

 
Todas as casas seguem esse modelo de tijolinhos, por quilômetros e quilômetros de cidade.
 
Não foi difícil escolher um modelo de laptop, menos ainda pagar por ele. Contratei o serviço de set up da loja para que instalassem todos os programas necessários para mim, mas iria levar algum tempo. Felizmente, por volta das quatro da tarde daquele dia eu poderia voltar e levar meu novo computador para casa.
 
Retornamos ao centro da cidade e fomos direto almoçar, a pequena viagem aos limites da cidade nos abriu o apetite. Comemos num lugar de hambúrgueres gourmet, delicioso, mas caro. Almoçar fora é caro. O jeito é começar a me virar com a cozinha urgente. Depois rumamos para a North Street pra minha amiga brasileira fazer as compras de casa dela. Aproveitei pra comprar mais coisas para mim também: secador de cabelo, caneca, papel higiênico, coisas relevantes.
 
Quatro da tarde, entramos num ônibus (andar aquela distância nunca mais) e retornamos à loja de computadores. Surpresa! O set up não foi concuído, você pode buscar seu computador amanhã. Amanhã?? Mas eu queria passar a noite no Skype com o povo do Brasil! (bem, eu não disse isso, mas perguntei se tinha como eu continuar a instalação do que restava em casa). Tudo bem, pode levar, mantém ele ligado e continua o download do Office quando chegar em casa. Feliz! De volta para Manor Park com meu novo laptop agora.
 
Fui logo tentar instalar a louca internet à cabo no laptop. Mas como é a internet do campus, tem mil restrições de programas e até tipos de antivírus. Primeira tentativa, falhei. E nada de instalar o Office sem internet (malditas pessoas que não colocam mais nada em CDs!). Mas tive a brilhante ideia de ir até o restaurante aconchegante da recepção, que tem wi-fi, me conectar ao mundo exterior e talvez instalar os programas.
 
Consegui a conexão, consegui falar no Skype com mamãe. Mas nada de instalar o Office.
 
#5 Domingo, 03-02-2013
 
Consegui descobrir um jeito de instalar a internet à cabo no laptop, mas nada de Office ainda. Passei o dia inteiro na internet, não necessariamente fazendo alguma coisa, mas pelo menos conversando.
 
À noite o pessoal brasileiro se reuniu numa das salas comunais (HP feelings!) do campus para todo mundo se conhecer melhor, ouvir uma música e beber um pouco. Fiquei só um pouco, conheci o pessoal que chegou em setembro e que deu boas dicas sobre o sistema de avaliação daqui, mas às 20h voltei pra casa. Mais Skype, a ideia do blog, e lá fui eu virar a noite, sem sono algum, por causa da ansiedade do primeiro dia de aula.
 
Desde que me conheço por gente, as vésperas dos primeiros dias de aula sempre foram inquietos, nervosos, cheios de expectativa. Normal, e como eu já eu estou acostumada com a sensação, deveria ter sido mais fácil adormecer. Mas não. Contar carneirinhos, respirar profundamente, rezar um terço, nada me fazia dormir. Como eu sinto falta das minhas noites no meu quarto no Brasil, quando a qualquer hora da noite eu posso simplesmente apagar a luz, deitar a cabeça no travesseiro, fechar os olhos e dormir. Simples assim.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. E aí, conseguiu instalar o Office? xD

    Esqueci de comentar no post anterior sobre os ônibus!
    Acredito que todo brasileiro fica um pouco envergonhado quando viaja para um país de primeiro mundo e vê que as coisas funcionam e as pessoas são mais educadas. Eu já fiquei me sentindo assim quando morei em Floripa. É tudo mais limpinho, mais organizado, e as pessoas pedem licença para se sentar ao seu lado, numa sala de espera. SIM!

    Eu nunca saí do Brasil =/, mas estou gostando de saber dessas coisas que vc tá contando, por isso a leitura do seu blog tem sido proveitosa (eu estou lendo tudo num dia só rs).

    Tira mais fotos, Luiza! =P Se puder, tira foto dos ônibus também, da parada, do metrô.. É tudo tão bonitinho por aí! *-*

    (Ah, e novamente eu peço, desabilite o mecanismo de verificação de palavras dos comentários, please! '-')

    Beijocas!
    Paz e Luz!

    ResponderExcluir